quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Mais estranho que a realidade

Sexta-feira passada alguns amigos, incluindo algumas plebéias, receberam um recado meu pelo celular... O recado variava um pouco de pessoa a pessoa, mas a base dele estava em "Deus criou o infinito pra vida ser sempre mais...", trecho de uma música religiosa. Aliados a isso, votos de "divirtam-se por mim", "Samba aí", "boa viagem"...

Os versos da música entraram também em um vídeo que estou fazendo, sobre minha vida. Fotos, vídeos antigos, vídeos de trabalhos, tudo que consegui pegar com amigos ou achei em casa. Como vêem, estou vivendo mais um momento de olhar pra trás pra seguir adiante.

Sexta-feira fiquei em casa. Cogitei ir pra vários lugares, mas acabei morgando em casa. E "navegando" pela TV a cabo, vi trechos do filme "Mais estranho que a ficção". Para os que não viram, trata-se da história de uma escritora em crise, interpretada por Emma Thompson, que busca terminar um livro. A diferença é que o personagem do livro dela existe na vida real, sem que ela saiba, e o homem passa a ouvir sua vida narrada pela voz da escritora. O conflito maior surge quando ela fala da "iminente morte" da personagem.



Sabendo que pode morrer a qualquer momento, a personagem de Will Ferrell muda de postura e começa a fazer tudo o que deixou de lado até então. E foi isso que me estimulou a mandar o recado. Deixei de sair, de ver os amigos e de me divertir por cansaço, preguiça e pelo que tinha a fazer no dia seguinte. Na hora que me dei conta, a única coisa que poderia compensar seria distribuir minha euforia adormecida entre meus amigos (Tudo bem... O recado foi meio... Soturno. Pela hora e pelo texto, parecia mensagem de suicídio. Despedida... E algumas pessoas se preocuparam. Acharam que estava em depressão ou "doidão"... Mas não deixava de ter a ver com o que eu estava vendo).

A ficção tem disso... A arte tem disso. Elas mexem com as pessoas. E é isso que mais me atrai quando ainda penso em fazer Cinema. Em não desistir desse mercado difícil, ingrato, impossível. Saber que poderei falar sobre coisas que poderão afetar (ou não) as pessoas. Saber que não estarei apenas entretendo, mas agregando, ampliando, acordando...

Enquanto não consigo nada disso, continuo voltando nesse humilde e, agora, pouco acessado blog. Continuo insistindo nos textos existencialistas, pessoais e emocionais. Não chega a mexer muito com ninguém , mas me mantém estimulado. E ligado nessa nossa estranha realidade. Não ouvimos ninguém nos dando instruções ou prevendo nosso futuro, mas imaginamos o que está por vir. E aí está nosso problema: devemos parar de imaginar e começar a viver...

OBS: Tudo bem... Este texto também faz parecer que estou doidão. Mas não são drogas. É sono...

4 comentários:

Juliana Aquino disse...

Amigo, parar de imagina e começar a viver, mas sem deixar de sonhar que é a coisa mais linda do mundo!!
Ainda vejo seu filme na telona!
Beijocas

Claudinha disse...

eu queria ter essa faísca de esperança...

Anônimo disse...

Cara, essa reflexão é demais, porque nos deixamos desistir por pouco mesmo....há 4 anos atrás, eu julgava os meus amigos que deixavam de falar com alguém que conheciam quando estavam na rua...alguém q não era amigo, só que conheciam, porque nunca me imaginei fazendo isso, eu sempre fui daquelas pessoas que acena já atravessando a rua pra falar somente um "oi" que fosse, mas hoje estou igual aos meus amigos e isso é triste, pq tb é um tipo de desistência, porque deixamos nos levar por essa preguiça estúpida e barata que nos faz olhar para os outros como "mais um que não conheço", e assim, temos grandes chances de acabar até por vulgarizar os momentos com os amigos verdadeiros, com pessoas que importam pra nós e que se importam conosco. Isso não pode mesmo acontecer, precisamos acordar e nos surpreender,"tenham sempre fome, sejam sempre tolos" (steve jobs). Bjs no coração, Diana

Grazy Vedder disse...

Que nada meu amigo...vc se diz um sonhador, mas é o cara mais lúcido e sensato que conheço.

Nunca devemos desistir daquilo que acreditamos que é o melhor p/ gente...e para mantermos esse desejo vivo dentro de nós, é preciso sonhar com ele.

E se não o fizermos, qual é a razão estamos vagando sobre a terra então?

Bjssss

PS: Adorei ter recebido a msn...