quinta-feira, 27 de março de 2008

"Glauber no Ventilador"

Esse título foi a manchete do "Segundo Caderno" de hoje...

Venho comentar sobre a polêmica que Marcelo Madureira gerou num debate no Cine Odeon, há alguns dias, quando proferiu a sentença: "Glauber Rocha é uma merda".

Isso afetou a classe, é claro. Glauber Rocha é um dos maiores, senão o maior, ícone cinematográfico brasileiro. E quando digo ícone, não parto de uma opinião própria, mas das homenagens, críticas, idolatrias que vemos por aí...

Não vou reportar todo o acontecimento ou a matéria do Jornal O Globo, que traz opiniões do próprio Marcelo e de figuras ligadas ao Cinema ou à dita "Intelectualidade" brasileira. Vou apenas dar minha humilde opinião.

Nada pessoal contra Glauber... Acho que alguns filmes são chatos, dependendo do olhar dado a eles. Acho que alguns filmes foram inovadores pra época, principalmente em termos de produção. Acho que são filmes de conteúdo, mas não acho burro ou menor quem ache chato. Acho que dá pra ver no cineasta um grande crítico, pensador, e mesmo assim achar sua obra entediante. E acho que quem estava certo era mesmo Nelson Rodrigues: toda unanimidade é burra.

É fato que Glauber tem seu valor... Incontestável pela truculência de suas opiniões, de sua Arte, pela construção da estética cinema-novista e pela contribuição dada à projeção do Cinema Brasileiro no mundo. Mas, pelas opiniões que li, não acredito que Madureira desmereça Glauber em tudo. Ele disse admirar a pessoa e o intelectual... Merda foi a consideração dada à obra do cineasta, cujo único filme que não seria chato, na opinião do humorista, seria "Di-Glauber", documentário de 1979.

Opinião grosseira? Talvez. Mas não se espera menos de um Casseta. Opinião burra?... Quem seria apto a julgar? Ele não tem o direito de achar os filmes chatos? Conheço muita gente que acha... E mais... Conheço muita gente que diz gostar mas que, a meu ver, gosta justamente porque a obra é proclamada como inteligente e revolucionária... No fundo, essa muita gente tem medo de parecer menos se disser que não gostou.

O que acho engraçado é que Glauber hoje é visto como Deus ou gênio por grande parte dos cineastas, principalmente os amigos contemporâneos e os novatos mais empolgados. O que Glauber Rocha acharia disso? Pelo pouco que vi e conheci, já posso supor que ele não gostaria de não ser contestado, de ser idolatrado a esse ponto. Ser chamado de gênio não incomodaria, pelo contrário, mas ter dezenas de bajuladores e virar "mainstream" seria a morte para o artista. No episódio em si, ele se defenderia, retribuiria ofensas a altura, mas, no fundo, adoraria a polêmica. E, no final, Rocha e Madureira dariam as mãos e buscariam uma terceira figura pra criticar...

No fundo, o temperamento de um é muito próximo do outro. E por mais que "merda" seja muito ofensivo, as defesas que surgiram, como sempre, só deram pano pra manga (algumas foram meio ridículas). Quem dera uma opinião minha surtisse esse feito e efeito. Eu até poderia me retratar, mas também jogaria Glauber no ventilador, só pra ver no que ia dar... Vocês não?

2 comentários:

Grazy Vedder disse...

Olha, não tem como declarar qquer opinião sobre ele e sua arte pois desconheço. E engraçado, apesar da fama e tudo que dizem, nunca me despertou interesse de ver algum filme dele...depois então da sua opinião, fico com os filmes nacionais mais atuais mesmo...rs

Alan DB disse...

Minha opinião? Graziella, definitivamente, hoje não estamos falando a mesma língua... hehe Eu acho que você deveria ver sim. Aliás, deveria ver Glauber E os atuais... Não por entrar naquela de achar que você "precise", que teria mais "conteúdo" do que você vê (seria ridículo), mas porque acho importante ver de tudo, mesmo que não seja compatível com nosso gosto... E você mesmo já assumiu que não vê cinema nacional... Logo, fique com algum, pelo menos... Pq não é você que precisa... É o cinema nacional que precisa de você... ehehehe