sexta-feira, 2 de maio de 2008

Bruno Mazzeo e o mau gosto de Ronaldo

O cara anda nas bocas... Sempre foi um bom roteirista, começou escrevendo pro pai, seguiu escrevendo pra outros, mas só há pouco tempo começou a se destacar, escrevendo pra ele mesmo. Graças às ciladas da vida.

OK Ok... Não vim falar do Bruno Mazzeo em si... Confesso que este post é uma grande desculpa, porque estou sem tempo ou criatividade pra escrever posts. Abri falando do Bruno Mazzeo porque vou colar aqui um texto dele, que recebi hoje por e-mail. Pois é, é muita cara-de-pau, muito comodismo... Mas é um texto que diz tudo que eu gostaria de dizer, de uma forma melhor do que eu diria. Resolvi, portanto, dar o crédito a altura, enchendo a bola do cara.

Quem gostar, entra no blog dele: http://bloglog.globo.com/brunomazzeo/

Eis o texto. Divirtam-se.

"MAU GOSTO NÃO SE DISCUTE

Eu sou suspeito porque nutro certo preconceito contra os jogadores de futebol de hoje em dia. Não nos gramados, mas fora deles. Acho todos pouco inteligentes como um Zico, Roberto ou Sócrates; pouco folclóricos, como Dadá Maravilha ou Biro-Biro; pouco polêmicos, como um Casagrande, um Renato Gaúcho ou um Romário; pouco “animais” como Edmundo... Acho todos meio assim-assim em termos de carisma e, aí que mora meu incômodo, muito a$$im-a$$im em termos de postura. Aquelas declarações do Roberto Carlos (o perna-de-pau, não o perna-de... enfim...), aquele que exibia o relógio dizendo que carregava um apartamento no braço e que não “entendia como um brasileiro conseguia viver com menos de 20 mil por mês”, me soaram esquisito, principalmente vindo de alguém que pouco tempo antes vivia com bem menos que isso por anos. Tudo bem, o próprio RC já disse ter se arrependido, Robinho e Ronaldinho Gaúcho são bacanas, discretos e tal, Kaká nem se fala, mesmo o Ronaldo, um cara conhecidamente “do bem”, mas... sei lá. O filme da classe ficou meio queimado comigo. Admiro os craques, freqüento estádio, grito os nomes, já chorei por vários, já xinguei muitos, mas... saiu das quatro linhas me atraem tanto quanto um ex-BBB que continua saindo na Caras simplesmente como ex-BBB ou apresentando programas na Rede TV! pelo mesmo motivo.

Talvez por isso a polêmica (trans)sexual na qual se envolveu (ou foi envolvido) o (ex?) jogador Ronaldo não tenha me surpreendido tanto. Não foi um assunto que eu puxasse no bar, tomando chopp com os amigos (até porque nesses dias não fui a bar nenhum, nem tomei no chopp, mas, enfim, é só pra dar um colorido).

Claro, o Ronaldo não é qualquer um. É o Fenômeno! Não o conheço, mas tenho alguns amigos que são amigos pessoais dele, sei que é um cara vários níveis acima de um Wagner Love, de um Beto, de um Adriano (ou, como ele prefere, 'Imperador'), mas... o preconceito não deixou que eu me surpreendesse. Se fosse, sei lá, um Padre Marcelo Rossi, aí sim seria uma bomba. Mas um jogador de futebol, qualquer que seja... não.

Acompanhem a novela: um jogador de futebol pega uma garota de programa numa rua da Barra da Tijuca, leva prum motel de quinta na mesma Barra da Tijuca... até agora nada fora do roteiro. Ele querer mais de uma garota, também nada demais. Se ainda tivesse rolado um pagode no quarto do motel, continuaria absolutamente normal. Do outro lado, como antagonista, uma quadrilha de travestis armando uma cilada prum cliente endinheirado e, mais do que isso, famoso. Depois aproveitando seus 6 minutos de fama num programa da Rede TV!. Mais óbvio impossível.

Não acredito – nem vi ninguém levantando essa hipótese - que o Ronaldo seja gay e estivesse numas de “dar uns pegas num traveco”. Não me chamou a atenção ele não ter notado o gogó, a voz de pato (até porque foi casado com a Cicarelli), aquelas coisas que denunciam um travesti à distância. Vai ver ele também acredita em Papai Noel e nas eleições do Vasco, mas acho que ele realmente achou se tratar de uma mulher, sem desconfiar que era uma mulher de tromba. E, mesmo que soubesse, que fosse isso o que buscava, não importa, ninguém tem nada com isso, cada um gosta do que quiser, experimenta o que tiver vontade, de Nova Schin a fio-terra.

O que mais (aliás a única coisa) me chamou a atenção nessa história foi o mau gosto do Ronaldo. Vai gostar de mulher feia assim na... Barra. Garotas de programa que fazem ponto nas ruas normalmente são feias. Horrendas, aliás. Eu particularmente tenho “eca”. Senão não estariam ali na esquina, mas no Cafe Photo. Sairiam na Sexy. Fariam figuração no Zorra Total. Qualquer coisa, menos cobrar 30 reais por um boquete*.


*tô por fora da tabela, que fique bem claro! Esse foi o valor que ela(o) divulgou ter cobrado.


Onde anda o Ronaldo da Milene? Da Suzana Werner? Da Cicarelli? Da Raica? De tantas outras que a gente nem sabe? Na boa, um cara como o Fenômeno, que tem a fama que ele tem, que só usa Armani, casou num castelo, é embaixador da ONU (ou da Unicef, sei lá), ganha milhões de euros por mês... não pode pegar um bagulho daqueles. Não pode! É proibido pela lei da moral, bons costumes e bons gostos. Eu já tive minha fase de baladas e sei bem que o nível de caipirinha e/ou cerveja e/ou vinho e/ou uísque e/ou etc no sangue pode fazer toda uma diferença. Nunca dormi com mulher feia, mas já acordei com várias. Agora... feia daquele jeito... Vamos esquecer que era um traveco, coisa e tal. Como mulher, enquanto mulher, a nível de mulher, aquilo era o cão. Chupando manga. Pelo avesso. Depois da guerra química.

Tudo bem que dinheiro não compra felicidade, mas compra o direito de não ter que pegar aqueles trubufus! Ronaldo não tem o tipo de beleza por quem se apaixona à primeira vista. Claro que depois de conhecê-lo qualquer uma pode se apaixonar, a paixão não tem necessariamente a ver com beleza, meu preconceito não chega a tanto. Mas, sinceramente, se ele fosse, digamos, o rapaz da NET, que foi instalar seu decodificador entre 10 e 18h, a Cicarelli teria caído de amores? Raica teria se apaixonado se tivesse visto a foto dele como funcionário do mês exposta num McDonald´s? Acho bem difícil. Então ele sabe o poder que tem.

A única explicação plausível é que, mesmo as pessoas que freqüentam restaurantes caríssimos, acostumadas a comer do bom e do melhor, também têm seus eventuais desejos de comer um podrão, aquele cachorro quente de barraquinha, com batata palha, ervilha e ovo de codorna. Eu gosto de frequentar bons restaurantes mas não me privo da vontade de comer um joelho (nada pessoal!) na padaria, por exemplo. Mas daí a comer no bandejão da Rosinha Garotinho, vai uma grande diferença.

Só isso me chocou. Se o Ronaldo – que é o Ronaldo, o único no mundo que é o Ronaldo – tá baixando o nível dessa maneira... imagina do que não é capaz o Souza, que é apenas um... Souza?

Bruno Mazzeo"

2 comentários:

Juliana Aquino disse...

Foi ótimo vc postar esse texto do Bruno aqui.
A frase "não me chamou a atenção ele não ter notado o gogó, a voz de pato (até porque foi casado com a Cicarelli.." é perfeita!!
Sou fã desse cara e tô com saudades de Cilada!!
Beijocas

Grazy Vedder disse...

ADDDOOOOOOOOOOOOORO ELE!!

"Vai ver ele também acredita em Papai Noel e nas eleições do Vasco"
foi sensacional!