domingo, 25 de novembro de 2007

Grafitismo e Política

Aproveitando o post anterior, no qual o Alan disse que as pessoas devem procurar combater a violência usando as armas que têm, lembrei de uma artista que sou muito fã, e que tem a sua arte como a principal arma contra as atrocidades que acontecem pelo mundo afora. Abaixo, segue um pouco de sua história:


O nome dele talvez seja Robert Banks, ninguém tem muita certeza. Talvez ele seja de Brighton e tenha uns 30 anos, mas ninguém pode confirmar. A mídia nunca conseguiu fotografar seu rosto.

Ele começou na carreira como um grafiteiro alternativo. E por criar uma arte inteligente passou de artista marginalizado à artista famoso – mesmo assim a polícia continua atrás dele. Um quadro dele pode custar até US$ 7 mil. Mas Banksy não está nem aí para essa tal fama. Foi convidado para fazer um comercial para a Nike e não quis. Preferiu continuar a fazer arte polêmica.


Há alguns anos entrou no American Museum of National History, em Nova Iorque, e discretamente colocou um de seus quadros na parede. Demorou algum tempo até o pessoal do museu descobrir a brincadeira. Já fez a mesma coisa no British Museum e Natural History, ambos em Londres, e no Brooklyn Museum em Nova Iorque.

Ele gosta muito de ousar, como dá para ver. Há alguns meses pintou 9 imagens na barreira do West Bank em Israel. As pinturas mostram o que existe ‘do outro lado’ do muro.


Além de ousar no mundo real, também ousa no virtual. No seu site mensalmente acontece uma caça ao tesouro, na qual Banksy convida as pessoas a participar e ganhar peças com seus desenhos. A caça deste mês acontece na Palestina, onde em alguma parte perto do West Bank ele pintou a imagem de um rato numa pedra. Embaixo dela existe um papel com algo escrito. A primeira pessoa que mandar um email para o site com a tal palavra ganha um desenho by Banksy.

A pergunta que fica agora é quando será que ele vai aparecer em terras brasileiras e usar seus stencils para retratar a caótica realidade do nosso país? Watch this space…

Entre no: site e confira outros trabalhos ...vale muiiiiiito a pena. Com estilo “punk”, ele desenvolve o seu trabalho com um profundo senso crítico ao poder e à guerra.... ele manda muito bem mesmo!!!



Bjs e inté!

3 comentários:

baptistadiana disse...

Oi Grazy, que maravilha que o Alan (que posta tb com vcs no blog, é meu amigo) me avisou do seu texto, por acaso, minha monografia foi sobre grafite e eu tenho uma pasta de fotos somente com grafites inteligentes do meu perfil do multiply. Eu sou viciada em grafites, ainda mais aqueles que passam uma mensagem de reflexão como os do Banksy. Não sei se é possível que vc veja o link caso não tenha multiply, mas de qq forma, se tiver, tb pode me procurar como doceespera (meu nome multiply). Além do Banksy, tem outros feras. Veja se consegue ver http://doceespera.multiply.com/photos/album/3/Grafites_-_Novos_Olhares_

Um abraço!
Diana Baptista

Léo Ramos disse...

Gostei tanto do grafite dele, que comecei a pesquisar sobre sua arte. E agora vou aproveitar a dica da Diana.
Desculpe os que gostam, mas isso é que é arte e não aqueles rabiscos do Basquiat.

êêêê, é Fernanda Alencaaaaaaarrrr!!! disse...

O grafite é uma arte impressionante. Expressar, através de imagens, um pensamento, sentimento, opinião q tenha um objetivo de informar, alertar, orientar (apresentando um sentido social ou não, mostrando a nossa realidade ou não) ou para, simplesmente, divertir.
Concordo plenamente com o q diz Celso Gitahi, grafiteiro:
" Talvez um dia, todo centro urbano, apesar de caótico, possa se tornar uma grande galeria de arte a céu aberto."
E o sucesso é tanto q vários estabelecimentos já adotaram o grafite como decoração. É esta grandiosa arte invandindo, além de espaços públicos, os privados tb!! Fantástico!!!